Crônicas – 10ª Rodada – 17/09/2016


Grupo A – 14 horas – Bento XVI 13 x 0 Magarão

bento

Bento XVI não toma conhecimento do Magarão e atropela por 13 a 0.

O duelo entre um dos líderes e o lanterna do Grupo A foi cercado de polêmica antes de a bola rolar e, como o esperado, acabou com uma goleada acachapante a favor do favorito. Com apenas cinco jogadores de linha, o Magarão ameaçou não entrar em campo e perder de WO, mas o Bento XVI tratou de fazer uma oferta ao time que ainda não conquistou nenhum ponto na Liga Beneditina: tirar um atleta e igualar as equipes. No entanto, na hora da partida, o último colocado apareceu com seis na linha, alegando que um estava machucado e que ficaria no banco para jogar poucos minutos. O Bento bateu o pé e impôs que o adversário permanecesse com seis jogadores durante toda a partida. E se deu bem,  porque conseguiu um grande saldo de gols e assumiu a liderança da chave. Destaque para Gustavo Basílio, que balançou a rede seis vezes e assumiu a vice-liderança na artilharia.

Apesar do massacre, o confronto começou morno, em função do forte calor. Entretanto, não demorou para o time vermelho, infinitamente superior, começar dar início à avalanche de gols. Basílio e Batata fizeram os dois primeiros. O Magarão tentou responder com Xaxim, mas não conseguiu diminuir a vantagem. Gustavo Basílio marcou mais dois gols, sendo um deles em bela cavadinha e deixou o Bento na boa, com 4 a 0 no placar.

No segundo tempo, o camisa 11 da equipe vermelha continuou com sede de gol e fez o quarto dele em chute cruzado. Em seguida, o bom pivô Lucas Diogo, que já tinha dado duas assistências, marcou o seu após tirar o goleiro: 6 a 0. Basílio, mais duas vezes, Ivan Lopes, três vezes, Reydner Andrade, uma e Leonardo Cunha, também uma, fecharam a goleada. Perto do fim, o Magarão desperdiçou duas boas oportunidades para fazer o de honra e o placar permaneceu em 13 a 0.

O Bento XVI assumiu a liderança por ter maior saldo de gols que o Ex-Murfs e o Ralac. O Magarão, que já não almeja mais nada há tempos, segue como pior do Grupo B, sem nenhum ponto conquistado.

Grupo A – 15 horas – Descubra 1 x 9 Ex-murfs

exmurfs

Ex-Murfs goleia Descubra por 9 a 1 e segue na cola do Bento XVI.

Depois de ver o Bento XVI golear o Magarão, o Ex-Murfs sabia que também precisava fazer um bom saldo de gols contra o Descubra para diminuir a vantagem do líder do Grupo A. Os azuis conseguiram, mas ainda seguem atrás e precisam de uma goleada história na última rodada para terminarem a primeira fase no topo da tabela.

O Ex-Murfs começou a mil por hora e, rapidamente, abriu 2 a 0 no placar. Ricardo Toledo fez o primeiro em chute de longe, que bateu na trave e entrou e o matador Dedeco marcou o segundo, de biquinho, depois de boa tabela com Jorge Estrela. No minuto seguinte, Dedeco balançou a rede mais uma vez. Ele recebeu passe em velocidade, dividiu com o goleiro e a bola ficou limpa para ele empurrar para o gol vazio. Cansados e com a vantagem de 3 a 0, os azuis passaram a administrar a partida. Com uma equipe mais jovem, o Descubra tentou implementar uma correria, mas a experiência do Ex-Murfs falou mais alto e ele conseguiu marcar mais dois gols no fim do primeiro tempo com Jim Paiva, mesmo diminuindo o ritmo. O Descubra tentou responder, mas Leonardo Koslowski perdeu chance incrível, debaixo da trave .

A partida voltou do intervalo sem muita emoção e, graças a uma falha de Jannuzzi, que vinha tendo boa atuação, o Descubra chegou ao primeiro gol. O escanteio foi cobrado à meia altura, a bola bateu no goleiro e entrou: 5 a 1.

O gol despertou os azuis, que voltaram a se impor e aumentaram o placar sem grandes dificuldades. Diego Braga aproveitou cruzamento de Dedeco e marcou o sexto. O Descubra revidou, mas Jannuzzi se recuperou da falha e fez bela defesa no ângulo. Antes do apito final, Deco marcou mais dois e Jim um, liquidando a fatura em 9 a 1.

Com sete gols a menos de saldo do que o Bento XVI, os Ex-Murfs são os vice-líderes da chave. Já o Descubra precisa vencer na última rodada da primeira fase para se garantir na repescagem.

Grupo A – 16 horas – CRPP 0 x 2 OSS

crpp

OSS vence CRPP por 2 a 0 e mantém boa campanha.

Mais uma vez, a jovem equipe do OSS, que só perdeu pontos para os times que estão na parte de cima da tabela, mostrou que tem condições de ir longe na Liga Beneditina. Contra o CRPP, o time branco dominou o primeiro tempo e conseguiu construir o placar antes do intervalo. Depois, soube controlar os ataques do adversário e venceu com autoridade, apesar do placar não ter sido tão elástico.
A partida começou equilibrada, com muita briga no meio-campo. Aos 9, o OSS aproveitou escanteio e abriu o placar com Gil Cruz, que desviou a bola na primeira trave. A vantagem poderia ter sido ampliada no minuto seguinte, mas Ricardo Filho desperdiçou chance clara. O time branco continuou em cima, porém, esbarrava no goleiro Leporace, que estava defendendo tudo. No entanto, aos 15, ele nada pôde fazer. Gabriel do Lado fez ótima jogada individual e, de biquinho, marcou o segundo do OSS: 2 a 0.
Mesmo com o placar a seu favor, o OSS voltou para a segunda etapa com o domínio da posse de bola e não permitia que o CRPP se lançasse ao ataque. Nos dez minutos finais, a partida ficou aberta, com boas oportunidades para os dois times. No entanto, ninguém conseguiu balançar a rede e o jogo terminou mesmo em 2 a 0. Com oito vitórias em 10 jogos, o OSS foi uma grata surpresa e chegará com moral para as quartas de final. Com uma campanha de recuperação e garra, o CRPP, que possui 15 pontos e está na quinta colocação, não dará moleza para qualquer que seja o adversário na próxima fase.

Grupo A – 17 horas – Red Blue 3 x 5 Miúda

red

Miúda cresce no fim e vira para cima do Red Blue: 5 a 3. 

Red Blue e Miúda fizeram um duelo equilibrado até a metade da segunda etapa, quando André Frucktuoso, goleiro dos reds, foi expulso e comprometeu a equipe na parte final do jogo. O time cinza e preto não se fez de rogado e aproveitou a vantagem para construir a vitória.

O Miúda começou a todo vapor, sendo comandado por Lucas Mendes. Rapidamente, ele marcou duas vezes, aos 2 e 5 minutos. Porém, o Red Blue não se abateu e respondeu com Marcos Vinícius, que diminuiu a vantagem com um chute forte, sem chances para o goleiro, aos 11. Os reds continuaram pressionando em busca do empate e o time cinza e preto tentava explorar os contra-ataques.

A partida foi para o intervalo e a equipe vermelha voltou mais concentrada, chegando ao gol de empate com Burmeister. O chute desviou na zaga e entrou: 2 a 2. A segunda etapa corria equilibrada até a expulsão do goleiro dos reds, André Frucktuoso, que saiu atrasado e fez falta. Como era o último homem, ele levou o vermelho. Mesmo com um jogador a menos, o Red Blue continuou ligado no jogo conseguiu a virada. Marcos Vinícius, novamente, fez 3 a 2, aos 11.  Tentanto aproveitar a vantagem numérica e o fato do goleiro ser improvisado, o Miúda passou a arriscar de longe e obteve sucesso. João Finamore igualou o placar em cobrança de falta, que contou com a colaboração do arqueiro. O gol assustou os reds, que se encolheram e deixaram o adversário tomar conta do jogos nos minutos finais. O castigo veio aos 19. Bernardo Cereja conseguiu desarme no meio e chutou de bico para virar o jogo. No mesmo minuto, Caio Caesar ainda fez 5 a 3 e liquidou a fatura. O Miúda é o oitavo no Grupo A com 12 pontos e o, Red Blue, fecha o G6 com 15.

Grupo A – 18 horas – Robalísio 1 x 4 Ralac

ralac

Ralac se impõe e derrota o Robalísio por 4 a 1.

Mais uma vez, o Ralac mostrou que experiência faz muita diferença na Liga Beneditina. Atuando com segurança e sabendo os momentos certos para acelerar e desacelerar o ritmo do jogo, o time azul e amarelo não passou sufoco para superar o Robalísio e continuar na perseguição ao Bento XVI, que tem o mesmo número de pontos, mas possui melhor saldo de gols.

Foi só o Robalísio piscar os olhos para o Ralac marcar o primeiro gol da partida. Luiz Vicente balançou a rede com apenas 35 segundos de bola rolando. O time azul e amarelo se acomodou com a vantagem e passou a administrar, mas não contava com o gol do empate do adversário. Em uma pedrada de fora da área, Thiago Matera deixou tudo igual aos 11. O jogo ficou morno e o único momento de emoção até a parada para o intervalo foi um chute no travessão do Ralac. Apesar do susto pelo gol sofrido, o time azul e amarelo sabia bem o que queria e, na segunda etapa, pôs em prática sua estratégia.

O Ralac deixou a posse de bola para o Robalísio, que precisava desesperadamente da vitória para entrar no grupo dos que se classificam diretamente para as quartas de final e explorou os contra-ataques com muita objetividade. Aos 7, Daniel Cinco achou José Augusto, que ficou na boa para fazer o segundo. O Robalísio tentou responder com Matheus Oliveira e Henrique Pimenta, mas o goleiro Rangel estava seguro e impediu os gols. Antes de marcar o terceiro, o Ralac ainda viu o goleiro Valter operar um milagre após finalização de Ovo. Na sequência, em mais um contragolpe fatal, Ovo tocou para Vicente, que, sozinho, fez 3 a 1. Perto do fim, o goleiro do Robalísio saiu jogando errado e Ovo aproveitou para dar números finais ao placar. Assim como o Ex-Murfs, o Ralac precisa tirar uma grande diferença de gols em relação ao Bento XVI na última rodada para terminar a primeira fase na liderança. Em sétimo, o Robalísio ainda tem chances de alcançar a classificação direta para as quartas de final.

Grupo A – 19 horas – Aza 2 x 2 Tripa Seca

tripa

Empate em 2 a 2 com o Azá deixa Tripa Seca em situação desesperadora.

Era o duelo entre um desesperado e outro que precisava demais da vitória para tentar alcançar o grupo que se classifica diretamente para as quartas da Liga Beneditina. No fim das contas, o empate em 2 a 2 não foi bom nem para o Azá nem para o Tripa Seca. Pior para o Tripa, que precisa vencer seu jogo e torcer por um empate ou derrota do Descubra na última rodada para não ser eliminado na primeira fase. O Azá está garantido na repescagem.

A partida foi marcada pela ausência de técnica refinada, mas pelo excesso de vontade de ambas as equipes, o que resultou em um elevado número de faltas. Ninguém conseguiu criar nada de perigoso nos primeiros minutos. O Azá apostava em chutes de fora da área, mas sem pontaria, a estratégia não deu certo. Aos 6, Mauricio cortou lateral batido na área com a mão: pênalti para o Tripa Seca, convertido com tranquilidade por Pedro Gouvêa. Em desvantagem, o Azá saiu ainda mais para o ataque e, após acertar o travessão em nova tentativa de longe, chegou ao gol de empate. A bola passou de pé em pé até chegar para Daniel Aguiar guardar no fundo da rede.

 Logo no primeiro minuto da segunda etapa, o Azá pulou na frente. Mauricio acertou bom chute de média distância e venceu o goleiro: 2 a 1. Mesmo não tendo muita qualidade técnica para controlar e ditar o ritmo do jogo, o Tripa Seca não desistiu e, na base da raça, arrancou um empate merecido com Daniel Parreira, faltando apenas dois minutos para o apito final. Com o ponto conquistado, o Azá ficou em nono na tabela e o Tripa Seca, manteve-se em 11º e não depende apenas de suas forças para conseguir uma vaga na repescagem.

**********************************

Grupo B – 13 horas – Pedreiros 0 x 1 P-36

p36

Sob forte calor, P-36 consegue vitória magra sobre o Pedreiros: 1 a 0.

O sol escaldante prejudicou o desempenho tanto do P-36, quanto do Pedreiros no primeiro jogo da décima rodada pelo Grupo B. No fim, melhor para os hexacampeões, que souberam administrar a vantagem conseguida no início e mantiveram-se na cola do líder, Pilão, com os mesmos 25 pontos, mas com pior saldo de gols.

Para a sorte do time preto e amarelo, o gol que acabou decidindo a partida saiu logo no começo. Aos 3, Serman aproveitou lateral cobrado para o meio da área e bateu de primeira, acertando o canto direito do goleiro. O Pedreiros só conseguiu responder oito minutos depois e quase deixou tudo igual. No entanto, Marcos Lopes estava atento e, em cima da linha, deu um chutão, evitando que a bola entrasse depois de confusão na área do P-36. Eduardo Pinto e Serman tentavam levar os hexacampeões à frente em busca de mais gols, mas o goleiro Bernardo Caldas estava ligado e fez boas defesas.

Quem imaginava que o Pedreiros estava guardando o gás para atacar na segunda etapa enganou-se. Após o intervalo, o time preto e amarelo voltou mais agressivo e dominou completamente as ações. Bernardo Seara tentou em dois chutes, porém, errou o alvo em ambas. A única chegada com mais perigo dos Pedreiros foi com Pedro Hugo, que chutou cruzado e mandou a bola para fora. Na chance mais clara do P-36, Vitor cruzou e Pinto cabeceou mal, perdendo ótima oportunidade de ampliar o placar. No fim das contas, não fez falta. Os vice-líderes do Grupo B só esperaram o apito final para comemorarem a oitava vitória em dez partidas. O Pedreiros, na sétima colocação com 12 pontos ainda luta por uma vaga direto para a fase final.

Grupo B – 15 horas – Asimbonanga 8 x 2 danone

asimb

Asimbonanga em grande atuação e goleira Danone por 8 a 2.

Apesar de ter saído atrás no placar, o Asimbonanga soube manter a cabeça no lugar para virar e conseguir aplicar uma goleada sobre o Danone. Com a vitória, ele conseguiu se garantir na repescagem. Já a jovem equipe do Danone precisa vencer para não depender de outro resultado e não ser eliminada na primeira fase da Liga Beneditina.

Asimbonanga iniciou o jogo exercendo uma grande pressão e só não saiu na frente porque teve azar e também porque o goleiro adversário estava em tarde inspirada. Gabriel Paiva acertou a trave em cabeçada logos aos dois minutos de bola rolando. Na sequência, o mesmo Gabriel tentou com o pé, mas o arqueiro do Danone defendeu bem. Aos oito, aconteceu o primeiro ataque do time mais jovem e resultou em gol. Bruno Gutierrez protegeu bem a bola e chutou na saída do goleiro. Pouco tempo depois, o Asimbonanga finalmente conseguiu transformar o amplo domínio em bola na rede. Luchesi bateu no canto direito e deixou tudo igual em 1 a 1. Quase no fim da primeira etapa, Diogo Costa aparece para marcar dois em sequência para o Asimbonanga, sendo o segundo deles em belo giro finalizado com chute certeiro no ângulo.

Depois do intervalo, o Danone não conseguiu esboçar reação e apenas se conformou em ficar buscando a bola no fundo da sua rede. Diogo Costa fez mais dois nos dois primeiros minutos: 5 a 1. Angelo Ghetti diminuiu com um golaço de cobertura, mas o Asimbonanga queria mais. José Pazos em chute de longe, Athos completando escanteio e Gabriel Paiva chutando cruzado deram números finais ao jogo: 8 a 2, sem muito esforço do Asimbonanga, que crescer na reta final da primeira fase. Mesmo tendo Angelo Ghetti, um dos destaques da competição, o Danone não demonstra forças para chegar longe.

Grupo B – 16 horas – BSB 2 x 0 Time Preto

bsb

Em partida morna, BSB bate o Time Preto por 2 a 0.

Com uma bela campanha de recuperação e a vaga direta para as quartas de final assegurada, o BSB entrou em campo para encarar o Time Preto sem muita motivação. Mesmo assim, dominou o adversário e construiu a oitava vitórias em dez partidas sem correr nenhum risco. Em situação complicada, o Time Preto precisa fazer seu papel na última rodada e torcer por um tropeço do Danone para não ser eliminado.

Por conta da falta de inspiração de ambas as equipes, o jogo não foi marcado por fortes emoções e  chances de gol. A grande briga no meio-campo fez o confronto ficar truncado e chato para quem o acompanhava das dependências do Light. Jogador mais lúcido em campo, Igor Galera tentou imprimir maior qualidade técnica a favor dos Back Street Boys. No início, ele cobrou uma falta na direção do gol e o goleiro do Time Preto fez boa defesa no canto direito. Em resposta, o adversário acertou a trave em chute de Lucas. Quando o zagueiro André Galvão saiu jogando errado aos 14, Galera não desperdiçou e abriu o placar para o BSB. O camisa 5 mostrou tranquilidade para bater cruzado e balançar a rede.

No segundo tempo, os Back Street Boys continuaram com o controle da partida, mas pecavam nas finalizações. A partida foi se arrastando até que, aos 16 minutos, João Pedro tabelou com Renan Fernandes e soltou a bomba para fazer 2 a 0 e liquidar a fatura. Com 24 pontos, o BSB é o quarto do Grupo B e já está garantido nas quartas de final. Em penúltimo, com 5, o Time Preto corre grande risco de não avançar de fase.

Grupo B – 17 horas – Decenio 0 x 6 BFC

decenio

BFC controla o jogo e vence Decênio por 6 a 0 sem dificuldades.

Sorte do Decênio que os times que estão abaixo dele na tabela não conseguiram vencer suas partidas. Com isso, o time amarelo e azul garantiu-se na repescagem mesmo com uma derrota para o BFC, que, com bela atuação de Lucas Sant’anna, assegurou uma das vagas diretas para as quartas de final.

Mais uma vez, o Decênio entrou em campo capenga e o atacante Leonam precisou ser improvisado no gol. Se o BFC já tinha maior qualidade técnica com os dois elencos completos, a situação ficou ainda mais tranquila com o adversário desfalcado. Com três minutos de bola rolando, Lucas Sant’anna recebeu de Guilherme Lopes e bateu cruzado para abrir o placar. No minuto seguinte, Felipe Rattes carregou a bola e chutou forte para ampliar. O primeiro ataque da equipe mais experiente só aconteceu aos 16. Thiago Resende arriscou de longe e o goleiro defendeu. No contra-ataque, mais um para o BFC. Diego Borges aproveitou cruzamento de Sant’anna e tocou para o fundo da rede: 3 a 0.     O Decênio deu indícios que reagiria depois do intervalo. Bruno Aranha chutou e o goleiro defendeu à  queima-roupa.

A sorte, porém, estava ao lado do time azul. Um gol contra em infelicidade de Leonardo Jesus praticamente definiu o jogo a favor do BFC. Aos 8, Leonam tentou fazer o papel de goleiro-linha e se saiu mal. Ele carregou a bola, mas na hora de dar o passe errou. Esperto, Lucas Sant’anna encobriu-o para marcar um golaço: 5 a 0. Thiago Gonçalves fez o sexto com chute na saída do goleiro e o sétimo só não saiu, porque a bomba de Felipe Rattes explodiu no travessão. Após uma fase irregular, o BFC chegará as quartas de final com confiança. Já o Decênio precisa motivar seus atletas para que possa, enfim, atuar com a equipe completa.

Grupo B – 18 horas – Pilão 6 x 4 Mahmoud

pilao

Com grande atuação do maestro Ronaldo, Pilão rouba a liderança do Mahmoud: 6 a 4.

No jogo mais aguardado do dia, Pilão e Mahmoud fizeram jus à expectativa criada. Mesmo com ambas as equipes sem goleiro ­­­– o Pilão até começou com o goleiro titular, que estava lesionado, mas rapidamente ele foi substituído por um jogador de linha ­– a partida teve alto nível técnico. Melhor para o time azul, que, comandado pelo camisa 10 Ronaldo, venceu e assumiu a liderança do grupo B a uma rodada do fim da primeira fase.

O duelo começou lá e cá, com boas chances sendo criadas pelos dois times e quem conseguiu sair na frente foi o Pilão, logo aos 2 minutos. Barradas arriscou de longe e acertou o ângulo direito. O Mahmoud tentou responder prontamente com o artilheiro Breno, porém, o voleio dado pelo camisa 77 subiu demais. No minuto seguinte, o próprio Breno cobrou escanteio na cabeça de Góes, que empatou o placar: 1 a 1. A partida continuou bem movimentada até que a equipe azul assumiu as rédeas e fez dois gols em sequência. No primeiro, Ronaldo deu bela assistência para Passos marcar e, no segundo, o próprio camisa 10 chamou a responsabilidade e balançou a rede com chute cruzado, após driblar o zagueiro adversário. Aos 15, Ronaldo, inspirado, fez um golaço olímpico e deixou o Pilão numa boa: 4 a 1. No entanto, o Mahmoud contava com Breno, artilheiro da Liga Beneditina. O camisa 77 diminuiu depois de dar belo giro. Quase no fim da primeira etapa, Youssef fez mais um para o time branco e o ótimo primeiro terminou com o placar de 4 a 3 para o Pilão.

O equilíbrio permaneceu no segundo tempo, com boas chances dos dois lados, mas o cansaço impediu que saíssem tantos gols quanto na primeira etapa. As emoções ficaram guardadas para a reta final do confronto. Aos 16, Ronaldo avançou pela direita e bateu forte para marcar o seu terceiro gol, quinto do Pilão. Após a saída de bola, Breno cortou para a esquerda e chutou no alto: 5 a 4. O Mahmoud se animou e tentou uma pressão para buscar o empate, mas cedeu contra-ataque e Pedro, aproveitando passe de Barradas, decretou a vitória do time azul por 6 a 4. Com 25 pontos e maior saldo de gols comparado ao P-36, o Pilão assumiu a liderança do grupo B. O Mahmoud caiu para a terceira colocação com a derrota. Os dois times já mostraram que têm condições de lutar pelo título da Liga Beneditina.

Grupo B – 19 horas – Tchouse W x O Supimpas