Crônicas – 11ª Rodada – 24/09/2016


Grupo A – 14 horas – Descubra 4 x 4 Miúda

miuda

Miúda e Descubra ficam no 4 a 4 e ambos vão para a repescagem .

Precisando vencer para se garantir na repescagem sem depender de outro resultado, o Descubra vacilou e chegou para o início da partida contra o Miúda com um jogador a menos. E o vacilo custou caro, porque o adversário saiu na frente e o Descubra precisou correr atrás do placar durante todo o jogo.  No fim, o empate garantiu vaga na repescagem para os dois times.

Aproveitando a vantagem numérica, o Miúda balançou a rede logo no primeiro minuto de bola rolando com João Finamore. Não demorou para o atleta atrasado chegar e deixar as equipes em iguais condições. Assim, o Descubra conseguiu reagir e chegar ao empate aos 4 em gol marcado por Alexandre Mansur.  O duelo ficou aberto, com os dois times mais preocupados em atacar, deixando os setores defensivos desorganizados.  O time preto e cinza soube aproveitar melhor este panorama e fez dois em sequência com Tomás Frederico e Bernardo Cereja. O Descubra não desanimou e pressionou no fim da primeira etapa, dando a entender que continuaria em cima na volta do intervalo. E foi o que aconteceu.

Após um ataque perigoso do Miúda, o time de colete contra-atacou com precisão e Alexandre Mansur fez o segundo dele, deixando o placar em 3 a 2. Mas a equipe preta e cinza tinha Tomás Frederico, que puxou contra-ataque em velocidade, tabelou com Caio Caesar e voltou a colocar o Miúda em vantagem de dois gols. Valente e precisando da vitória, o Descubra se lançou com tudo para o ataque e colocou medo no adversário, que recuou. Aos 12, Leandro Koslowski ariscou de longe e o goleiro aceitou. Quatro minutos depois, Alexandre Mansur fez o terceiro dele e empatou a parada: 4 a 4. Antes do fim, o Descubra tentou uma última pressão para buscar a virada, mas não deu. O Miúda finalizou a primeira fase em sétimo no Grupo B e encara o Danone na repescagem. O Descubra, que terminou em décimo, fará duelo com o experiente time do Decênio.

Grupo A – 15 horas – OSS 6 x 0 Ralac

ralac

Oss surpreende, coloca o Ralac na roda e termina em terceiro: 6 a 0.

Com um time jovem, cheio de disposição e talentos individuais, o OSS foi crescendo durante a primeira fase da Liga Beneditina e chegou ao seu auge no duelo com o todo poderoso Ralac, que entrou em campo na última rodada brigando pela liderança. A equipe branca simplesmente não tomou conhecimento dos mais experientes, que estavam desfalcados e, com a goleada de 6 a 0, passou o adversário na tabela, ficando com a terceira colocação no Grupo A.

O jogo mal começou e Bruno Gonçalves quase derrubou o travessão com uma bomba. Era um indício que o OSS estava com uma vontade acima do normal. Cascudo, o Ralac procurou não modificar sua maneira de atuar e seguiu marcando no meio-campo, buscando os contra-ataques. O time branco, porém, estava em uma tarde inspirada e conseguiu achar vários buracos na defesa adversária. Aos 10, Rodrigo Souza deu ótima assistência para Bruno Pedote bater colocado no canto do goleiro Rangel. Logo depois, veio o segundo: Matheus Coeli tabelou com Bruno Pedote e fez de cavadinha.  Desfalcado, a experiente equipe do Ralac sentiu o começo arrasados dos rivais e não conseguia chegar à frente trocando passes. Após cobrança de escanteio de Gabriel Schimidt, Pedro Aguiar, se aproveitando de falha na marcação, bateu cruzado e fez o terceiro. Antes do intervalo, Gabriel Schimidt ainda marcou o quarto.

Desolado, o Ralac não teve forças para esboçar qualquer tipo de reação na segunda etapa. Soberano no jogo, o OSS tratou de administrar a vantagem e só saía para atacar na boa. Em uma destas brechas, Bruno Pedote deu linda assistência para Gabriel Schimidt fazer 5 a 0. O Ralac só queria que a partida terminasse logo, mas ainda veio o sexto com Bruno Gonçalves, depois de grande jogada individual.

A derrota por placar elástico deixou os jogadores do time azul e amarelo mordidos e a expectativa é que eles cheguem com sangue nos olhos para o confronto com o BFC. Classificado em terceiro, o OSS tem tudo para continuar surpreendendo e irá encarar outro time experiente: Tchouse.

Grupo A – 16 horas – Magarão 9 x 3 Robalísio

magarao

Redenção! Magarão dá show no segundo tempo, vira sobre o Robalísio e goleia. 9x 3.

Após uma boa arrancada, o Robalísio chegou à última rodada da primeira fase com chances de classificação direta para as oitavas de final, mas não contava com um gás final do Magarão, que já eliminado, jogava apenas para cumprir tabela.

E, ao final do primeiro tempo, o placar apontava um lírico 2 x 0 para os favoritos. Eduardo Moreira abriu o placar, fazendo boa jogada como um autêntico pivô de futsal. E Rafael Gonçalves aproveitou passe de Eduardo Moreira para dar números finais à primeira etapa.

Essa virgindade desagradável e inexorável de vitórias humilhava os jogadores do Magarão por dentro e ao mesmo tempo os enfurecia.

Súbito, os jogadores alvirrubros se reuniram no centro do gramado ao que parecia de longe uma transfiguração de sentimentos e atitudes.

Ninguém ligava mais para as goleadas sofridas, bem como as constantes gozações dos adversários e torcedores. Imediatamente, cada jogador tratou de limpar a baba da impotência e do despeito de seus corpos.

O escore ainda estava inalterado, mas era clarividente aos olhos dos mais ingênuos que era questão de tempo para aquela apoteose chamada “primeira vitória” estourar no campo da Light.

Eis a verdade: Assim que Russo diminuiu o placar em belo chute cruzado e Oto empatou o jogo, vimos nos olhos de cada um deles que a vitória não era mais uma questão de tempo. Era uma questão de honra.

Em certo tempo do jogo, tínhamos a ilusão de que só o Magarão jogava. O Robalísio estava mais assustado do que quando você era pego fazendo besteira pelo Cunha na sala de aula. E não se engane, a expulsão do goleiro do Robalísio na metade do segundo tempo apenas adiantou o inevitável.

No ataque, a dupla Russo e Maranhão jogava como música e a cada gol convertido pelo Magarão, essa música se tornava uma sinfonia completa e perfeita.

Eis o fato: a partida acabou num show pessoal e intransferível. 9x 3. Esse time do Magarão joga pelo prazer de estar junto. Pelo amor ao futebol. Quem viu, vai poder contar aos netos que assistiu a personificação da redenção. E ela vestiu vermelho e branco.

Grupo A – 17 horas – Ex-murfs 9 x 1 Azá

exmurfs

Ex-Murfs goleia Azá por 9 a 1, mas não consegue buscar a liderança.

O Ex-Murfs sabia que precisaria de uma sonora goleada sobre o Azá e ainda torcer para o Bento XVI não ganhar de muito para terminar a primeira fase na liderança do Grupo A. Os azuis até fizeram a parte deles, mas não foi o suficiente para desbancar o Bento e acabaram em segundo.

Organizado e seguro de sua identidade, o Ex-Murfs pôs em prática o que apresentou durante a competição até o momento. Dominou o adversário desde o começo e conseguiu construir a goleada naturalmente, sem precisar fazer muito esforço. Com apenas 10 minutos, o placar já mostrava 5 a 0 para os azuis. Dedeco (duas vezes), Jim Paiva (duas vezes) e Jorge Estrela foram os responsáveis por esta larga vantagem, sem que o Azá pudesse respirar. Ainda no primeiro tempo, Jim e Alden Rocha ampliaram ainda mais a diferença e praticamente mataram o adversário antes mesmo do intervalo.

Como de costume, o Ex-Murfs diminuiu o ritmo na segunda etapa e a partida ficou morna.  O Azá até fez o de honra com Maurício, mas o melhor lance do time foi a caneta desconcertante de Pedrinho Alcântara em Jim Paiva. A galera foi ao delírio! Antes do apito final, os azuis fecharam o placar com gols  marcados por Bráulio França e André Luis Guerra. Um dos favoritos, o Ex-Murfs segue mostrando maturidade de campeão e, se tudo correr dentro do previsto, não deve encontrar dificuldades para passar pelo vencedor de Descubra e Decênio e chegar às quartas de final. Já o Azá precisa levantar a cabeça depois da goleada sofrida para chegar forte no duelo com o Pedreiros pela repescagem.

Grupo A – 18 horas – CRPP W x 0 Tripa Seca

Grupo A – 19 horas – Red Blue 2 x 8 Bento XVI

bento

Bento XVI atropela Red Blue por 8 a 2 e confirma liderança do Grupo A.

Após assistir a goleada do Ex-Murfs em cima do Azá, o Bento XVI entrou em campo sabendo que precisava vencer o Red Blue por pelo menos dois gols de diferença para terminar a primeira fase com a melhor campanha de toda a Liga Beneditina. E para o time vermelho, missão dada é missão cumprida. Com mais uma atuação segura, os abençoados pelo Papa não apenas venceram como golearam e aparecem como francos favoritos na fase final da competição.

 A superioridade do Bento ficou clara já nos primeiro minutos de bola rolando. Aos 4, Fernando Firmo recebeu na área e, quase caindo, tirou do goleiro para marcar o primeiro. Não demorou muito para Gustavo Basílio, camisa 10 do time vermelho, iniciar seu bombardeio de canhota para cima do goleiro. Em forte chute raseiro ele fez o segundo gol.  Sobrecarregado, Leandro Burmeister tentava responder para os reds. O atacante soltou uma bomba da direita e o goleiro fez bela defesa. Não tinha jeito, com muito mais volume, estava na cara que sairiam mais gols para o Bento XVI. O terceiro saiu com grande colaboração do goleiro do Red Blue.

Ele ficou pensando na morte da bezerra e Felipe Lanzelotte  guardou quase do meio-campo. Fernando Firmo ainda marcou o quarto e Lanzelotte evitou o primeiro dos reds salvando em cima da linha.

Se o primeiro tempo fecha em quatro, a partida termina em oito. Foi exatamente isso que aconteceu. Porém, além de mais quatro gols do Bento, saíram dois do Red Blue, ambos com Burmeister, que parecia lutar sozinho contra uma equipe experiente e muito entrosada. O atacante do Red Blue fez o primeiro da segunda etapa em chute cruzado. Ivan, duas vezes, sendo a primeira em biquinho e Basílio, em forte cobrança de falta, responderam para o time vermelho. Burmeister marcou o segundo dos red em arrancada pela direita e Marcelo, aproveitando passe de Basílio, fez sem goleiro e finalizou o placar em 8 a 2. O Bento XVI segue invicto e parte com tudo para a fase final da competição. Agora, aguarda o vencedor de Pedreiros e Azá na repescagem. Com uma campanha irregular, o Red Blue garantiu apenas a sexta vaga direta e terá pela frente a forte equipe do Mahmoud.

**********************************

Grupo B – 14 horas – Time Preto 3 x 4 Mahmoud

mahmoud

Mesmo sem a dupla de ataque, Mahmoud vence por 4 a 3 e elimina o Time Preto.

O Time Preto pode usar a batida frase que diz: “caiu de pé”.  Com muita raça, ele lutou até o fim e endureceu a partida contra o Mahmoud, que entrou em campo desfalcado da goleadora dupla de ataque formada por Breno e Cadu. No fim, prevaleceu a maior qualidade da equipe branca.

Sem seus jogadores mais criativos, o Mahmoud dependeu de outros atletas para envolver o adversário e Youssef foi um desses. Logo no primeiro minuto de bola rolando, ele chegou ao fundo pela esquerda e, mesmo sem ângulo, fez 1 a 0. O meio-campo também levou perigo em chute de longe, por cima, mas quem marcou o segundo foi Igor Queiroz, após receber bom passe de Rafinha. Precisando vencer para buscar a vaga na repescagem, o Time Preto despertou e foi para cima. Marquinhos ficou cara a cara com o goleiro, que salvou com o pé direito. O gol estava prestes a sair e veio com Guimarães após rebote do goleiro adversário.

No início da segunda etapa, o Time Preto continuou pressionando e contou com falhas consecutivas do goleiro do Mahmoud para fazer seus gols e virar o placar. Marquinhos chutou forte de fora da área e José Vitor espalmou para dentro do gol. No lance seguinte, o mesmo José Vitor saiu jogando errado e Marquinhos deixou o Preto na frente: 3 a 2. A empolgação do Time Preto foi freada por um lance de bola parada. Só assim a equipe branca estava conseguindo levar perigo. O zagueiro Datrino cobrou falta no canto para empatar.  Na reta final da partida, o Mahmoud voltou a ficar na frente em contra-ataque fulminante, com Igor Queiroz. Ele aproveitou o quique da bola e mandou bomba no ângulo esquerdo: 3 a 2. Com o triunfo, o Mahmoud terminou a primeira fase em terceiro com 27 pontos e irá enfrentar o Red Blue. O Time Preto, em penúltimo com apenas 5, acabou eliminado.

Grupo B – 15 horas – Tchouse 5 x 3 danone

tchouse

Sem Aziz, Fred comanda vitória por 5 a 3 sobre o Danone e Tchouse termina primeira fase em sexto.

A campanha foi irregular, mas o Tchouse conseguiu garantir uma das seis vagas diretas para a fase final da Liga Beneditina. Na última partida da primeira fase,  mesmo sem a experiência e liderança do craque Aziz, o time azul e branco passou pelo desesperado Danone, que disputará a repescagem graças a derrota do time preto.

A equipe mais nova começou o jogo com um jogador a menos, porém, o Tchouse não soube aproveitar a vantagem e, quando o atleta que faltava chegou, o placar ainda estava inalterado. Aos poucos, o camisa 99 Fred foi chamando a responsabilidade da criação e os mais experientes abriram uma boa diferença antes do intervalo. No primeiro gol, Alberto fez pivô para Fred tocar na saída do goleiro. No segundo, Flávio chutou cruzado de canhota e guardou. O terceiro e o quarto foram invertidos. Uma espécie de agradecimento entre os cavalheiros Fred e Diego. No primeiro, o camisa 99 avançou pela esquerda e tocou para Diego completar. No lance seguinte, foi Diego que deixou Fred na boa para marcar: 4 a 0. A fatura parecia liquidada, mas ainda não estava.

O Tchouse iniciou o segundo tempo fazendo mais um gol. Fred, o nome da partida, driblou o zagueiro e tocou para Alberto, livre, marcar o quinto. Quando o time azul e branco cansou e passou administrar, o Danone acordou e começou a correria. Guilherme Sobral marcou duas vezes e Angelo Ghetti, após boa tabela com Guilherme Clevelario, fez o terceiro. A reação, entretanto, parou por aí.

Com o resultado, o Tchouse fechou a primeira fase na sexta colocação e terá pela frente a jovem e surpreendente equipe do Oss. Já o Danone enfrentará o Miúda na repescagem.

Grupo B – 16 horas – Pilão 5 x 3 Asimbonanga

pilao

Pilão bate Asimbonanga por 5 a 3 e garante a classificação em primeiro.

O Pilão dependia apenas de uma vitórias e de uma “secada” para que o P-36 não goleasse em seu confronto para terminar a primeira fase como líder do Grupo B da Liga Beneditina. E tudo deu certo. Organizado, o time azul bateu o Asimbonanga e classificou-se direto para a fase final como primeiro colocado.

Com o desfalque de Barradas, Passos e Ronaldo chamaram a responsabilidade e levaram o Pilão ao nono triunfo em onze partidas disputadas na competição. Foi uma tabela de ambos que resultou no primeiro gol do jogo. Passos finalizou com uma bomba no ângulo direito, sem chances para o goleiro. Ronaldo quase ampliou em seguida em lindo gol olímpico. A cobrança e escanteio, porém, bateu no travessão. Mestre nas bolas paradas, o camisa 10 chegou ao seu gol em cobrança perfeita de falta. A bola ainda bateu no travessão antes de morrer no fundo da rede: 2 a 0. Passos acertou a trave e o travessão em lances no mesmo minuto, mas foi o Asimbonanga que conseguiu marcar. Gabriel Paiva aproveitou rebote para diminuir o placar. O mesmo Gabriel Paiva, aproveitando lateral cobrado por Luchesi na segunda trave, deixou tudo igual. No entanto, o Asim não teve nem tempo de comemorar. Leandro pegou um rebote e soltou a bomba para colocar o Pilão novamente na frente: 3 a 2. Antes do intervalo, Luciano acertou um bico no travessão, assustando o goleiro do Asimbonanga.

O Asimbonanga voltou para a segunda etapa em busca do empate, mas Gabriel Paiva perdeu grande chance depois de passe de Diogo da Costa. Como quem não faz leva, veio o troco do Pilão. Em contra-ataque pela esquerda, Passos chutou no alto. A bola bateu no travessão e entrou. O Asimbonanga não abaixou a cabeça com o gol sofrido e conseguiu diminuir mais uma vez. Luchesi bateu cruzado, a bola desviou na zaga e enganou o goleiro. O panorama dava a entender que o Asimbonanga tentaria uma pressão no fim para buscar o empate, porém, ela não funcionou e Ronaldo finalizou o placar com chute cruzado rasteiro, depois de tirar o zagueiro do lance: 5 a 3. O Pilão terminou a primeira fase como melhor do Grupo B e pode encarar o mesmo Asimbonanga na próxima fase, caso ele passe pelo Robalísio na repescagem.

Grupo B – 17 horas – BSB 1 x 4 P-36

p36

Com boa pontaria nos chutes de longe, P-36 vence BSB por 4 a 1 e termina em segundo.

O P-36 até que podia não estar muito inspirado no jogo coletivo, que é seu forte, mas a pontaria estava em dia e Leporace fez grande partida diante do BSB. Com dois belos gols em chutes de longe de Arthur, o time peto e amarelo venceu e terminou a primeira fase em segundo no Grupo B, atrás do Pilão apenas por ter saldo de gols menor.

Os Back Street Boys começaram melhor no duelo, com Igor Galera cuidando das ações ofensivas e Pedro Bassil passando segurança na parte defensiva. Nos primeiro minutos, Leporace foi obrigado a fazer duas defesas e salvar o P-36. César Mascarenhas tentou na primeira e Igor Galera na segunda, que foi defendida com o pé direito pelo goleiro adversário. Passados os sustos, os hexacampeões foram se encontrando no jogo e Parentoni acertou o travessão em cabeçada na área. Em seguida, Rafael Calaman chutou e longe, a bola desviou na zaga e entrou.  O BSB ficou atordoado e acabou levando o segundo pouco tempo depois. Em jogada de falta ensaiada, Victor rolou para Arthur chutar com categoria no canto esquerdo. Belo gol e 2 a 0 no placar. Antes do fim do primeiro tempo, Igor Galera tentou mais duas vezes e Bassil uma, em forte cabeçada. Inspirado, Leporace defendeu todas e manteve o 2 a 0 no placar.

O BSB voltou do intervalo com a mesma postura do início do jogo, combinando marcação forte e saída em velocidade para o ataque. Em uma destas, Galera fez bela jogada pela direita e cruzou para Marcelo Leitão perder chance clara de gol. O P-36, então, acordou e Serman fez o terceiro. Ele recebeu lateral na entrada da área e chutou cruzado: 3 a 0. Os Back Street Boys não desanimaram e continuaram em busca do gol, que finalmente saiu. Marcelo Leitão recebeu na área e tocou na saída do goleiro. Não restava muito tempo e o golaço de Arthur para o P-36 freou qualquer chance de reação do BSB. O volante do time preto e amarelo acertou chute de rara felicidade, quase do meio-campo, no ângulo esquerdo: 4 a 1. O P-36 terminou a primeira fase na segunda colocação e espera o vencedor de Miúda e Danone na repescagem . O BSB, que também fez boa campanha, fechou em quarto e fará um confronto equilibrado contra o CRPP.

Grupo B – 18 horas – BFC 6 x 3 Pedreiros

bfc

BFC vence Pedreiros por 6 a 3 na base da superação.

Sem goleiro e com um jogador a menos durante todo o primeiro tempo, o BFC parecia ser uma presa fácil para o Pedreiros, mas não foi assim que a banda tocou. Com muita raça e empenho na marcação, o time azul claro venceu e terminou a primeira fase na quinta colocação do Grupo B.

Com o goleiro atrasado, o BFC precisou improvisar um atleta de linha na posição e, não é que Thiago se saiu bem? Ele mostrou segurança nos chutes de longa distância do Pedreiros, que esperava conseguir boa vantagem justamente pelo arqueiro adversário não ser um especialista. Lucas Sant’anna, duas vezes, e Paulo, aproveitando rebote, colocaram o BFC em vantagem: 2 a 0.  Quase no fim do primeiro tempo, Felipe Mariano diminuiu de cabeça para o Pedreiros, completando cruzamento de Álvaro.

Na segunda etapa, o goleiro do BFC chegou e Thiago foi para a linha, igualando o número de jogadores de ambas as equipes. De acordo com o apresentado na primeira etapa, o panorama parecia claro: em iguais condições, o time azul claro aplicaria uma goleada. Entretanto, não foi isso que aconteceu. Apesar do BFC ter aumentado a vantagem no placar com golaço de Rattes em bomba de longe no ângulo direito e com gol do “ex-goleiro” Thiago, o Pedreiros mostrou brio e buscou uma reação na base da vontade. O segundo gol veio em uma infelicidade de Thiago, que desviou contra o próprio patrimônio e fez contra. Lucas,  em rebote após a bola bater na trave deixou o placar em 5 a 3. O Pedreiros se lançou com tudo para cima e deixou a defesa desguarnecida. Em contra-ataque mortal, Sant’anna driblou o goleiro e deu números finais à partida: 6 a 3.  O BFC, que fechou a primeira fase em quinto, está garantido na fase final para encarar a experiente equipe do Ralac. Já o Pedreiros, sétimo colocado, terá que passar pelo Azá na repescagem.

Grupo B – 19 horas – Decênio W x O Supimpas